NOTÍCIAS

Na última segunda-feira (17), a Regional Sorocaba do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) foi palco de um evento histórico no qual foi firmado o primeiro Arranjo Produtivo Local (APL) de energias eólica e solar do País. Com o auditório cheio, o lançamento reuniu, entre outras autoridades, o deputado federal Vitor Lippi, o subsecretário de Energias Renováveis da Secretaria de Energia e Mineração do Estado de São Paulo, Antônio Celso Abreu; o especialista em Desenvolvimento Produtivo da ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial), Jorge Boeira e o diretor titular do Ciesp Sorocaba, Erly Domingues de Syllos.

De acordo com Boeira, este APL faz parte de um projeto de crescimento sustentável para as indústrias de energia eólica e solar. “Sorocaba é um hub de empresas de energias renováveis e a formalização deste APL trará ainda mais desenvolvimento para a cidade e também a possibilidade das empresas do setor se engajarem na indústria 4.0”, destacou o especialista da ABDI.

Para Lippi, o Arranjo Produtivo Local abrirá um leque de novas possibilidades para as empresas, universidades e para o Brasil. “Estamos reunindo aqui grandes e fortíssimos nomes. Com este trabalho um mais um será muito mais do que dois, a tendência é o nosso país, um futuro próximo, passar de importador para um importante fornecedor de produtos ligados a este segmento, que em terá um crescimento exponencial”, observou o deputado federal.

 

Já o diretor titular do Ciesp Sorocaba, Erly Domingues de Syllos, comemorou a iniciativa e disse que vê com bons olhos o APL no sentido  da geração de empregos. “Com o desenvolvimento das empresas locais será necessário a contratação de mão de obra especializada e por isso trouxemos as universidades para o grupo com o objetivo de ofertas cursos especializados”, explicou Syllos.

Segundo a diretora técnica do Programa de APLs da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo, Juliana Santana, com a formação do cluster (arranjo produtivo) de energias renováveis as empresas terão acesso a recursos específicos de um programa de fomento para investir em inovação e tecnologia. “É um orgulho para São Paulo ter o primeiro APL deste setor no Brasil e tenho convicção que este será também um modelo para outros estados”, ressaltou.

De acordo com o subsecretário de Energias Renováveis da Secretaria de Energia e Mineração de São Paulo, Antonio Celso de Abreu Jr, o governo planeja reforçar a articulação, interação, cooperação e aprendizagem entre as empresas de energia solar fotovoltaica e eólica com o governo, associações empresariais, instituições de crédito, ensino e pesquisa. “Hoje já temos mais de 25 empresas participando do Arranjo Produtivo Local, porém tenho certeza que este número irá crescer muito mais. As principais empresas do setor que já integram o grupo são a Canadian Solar, uma das maiores fabricantes de painéis fotovoltaicos do mundo, a Wobben Windpower, produtora de componentes e aerogeradores eólicos, e a Tecsis, fabricante de pás eólicas, a Prysmiam e a ABB que são fabricantes de componentes e sistemas renováveis”, disse o subsecretário.

A primeira reunião multisetorial para incentivar as energias renováveis aconteceu em abril de 2016, na sede da Investe São Paulo, quando o  secretário de Energia e Mineração, João Carlos Meirelles, e o deputado federal Vitor Lippi reuniram as principais empresas e instituições da região.

As empresas e entidades que tiverem interesse em saber mais sobre o  Arranjo Produtivo Local (APL) de energias eólica e solar podem entrar em contato com Luiz Antônio Quilicci pelo telefone (15) 98126- 3388.

Fonte: Assessoria de Imprensa: Ciesp Sorocaba

+ Notícias mais lidas

Copyright Portal Obra24horas | 2005-2019
Contato: (011) 3124-5324 | Termos de Uso