Obra24horas > Entrevistas >
ENTREVISTAS

Cultura e cidadania nos canteiros de obras

 

Ângela Pugliese, diretora executiva da ONG Mestres da Obra
Num cenário onde reinam chapas de aço, estruturas metálicas, sacos de cimento e betoneiras, surge o inusitado: oficinas socioculturais. Os educandos portam equipamentos de proteção individual e uniformes, mas também trazem consigo livros, atenção e muita curiosidade. Essa realidade faz parte da rotina dos trabalhadores da construção civil que participam de ateliês organizados pela ONG Mestres da Obra, com o apoio da Editora Moderna. O projeto é realizado em canteiros de obras em diversas regiões do Brasil, com ações em prol do desenvolvimento humano e da qualidade de vida no trabalho.

Com oficinas de arte que ocorrem toda semana ou quinzenalmente, os operários desenvolvem atividades educativas e culturais pautadas em temas de interesse geral, como música, fotografia, artes plásticas, cênicas e visuais, meio ambiente, e também de assuntos relacionados à área de atuação dos trabalhadores, como o desenvolvimento urbano e a sustentabilidade. Para tal, os participantes utilizam livros da Editora Moderna que abordam esses temas e ajudam na assimilação do conteúdo aplicado em “sala de aula”, inspirando também a criação de suas próprias “obras de arte” a partir dos resíduos das construções. Do início da parceria com a Moderna, em 2012, até hoje, mais de 1.500 operários foram beneficiados.

Em 2014, cerca de 500 alunos participaram das oficinas inspiradas na releitura de livros sobre cultura popular brasileira, artes plásticas e música. “Nossa expectativa é levar nossas aulas para cerca de 1.000 operários este ano”, vislumbra Arthur Pugliese, diretor institucional e fundador da ONG Mestres da Obra.

Confira a entrevista com Ângela Pugliese, diretora executiva da ONG Mestres da Obra.

Obra24Horas: Como surgiu a ONG Mestres da Obra e com qual objetivo?

Ângela Pugliese: A ONG é fruto da soma de reflexões de um arquiteto e de um educador ambiental. Na ocasião era um projeto de educação ambiental que se transformou em um programa de atividades culturais educativas com amplo leque de ações.

Obra24Horas: Quais são as oficinas oferecidas e como elas funcionam (duração, horário, etc)?


Ângela Pugliese: Oferecemos teatro, música, fotografia, poesia e artes plásticas. Os horários variam de 1h a 4hs e turmas de 5 a 20 operários. Para isso, as empresas interessadas devem entrar em contato com a gente.

Obra24Horas: Quais são as estratégias usadas para fazer com que os operários participem das oficinas e entendam seus benefícios?

Ângela Pugliese: O programa é visto como algo que fortalece questões ligadas à qualidade e saúde do operário. Usualmente convidamos as turmas por meio do contato com o mestre de obra e engenheiro da obra.

Obra24Horas: Quais foram os resultados obtidos até hoje?

Ângela Pugliese: Inúmeros. Temos orgulho disso e nos alimentamos destas conquistas para superar obstáculos e somar forças para seguir em frente. Sempre superando as nossas expectativas.

Obra24Horas: Como surgiu a parceria com a Editora Moderna?

Ângela Pugliese: A parceria surgiu do alinhamento em atuar de forma inovadora com questões ligadas a educação e desenvolvimento humano.

Obra24Horas: Durante a trajetória da ONG, quais feedbacks vocês receberam dos operários que mais chamaram a atenção?

Ângela Pugliese: Foram inúmeros. Dentre eles, a autoestima, a melhora nos relacionamentos interpessoais e novas percepções sobre questões ligadas à segurança na obra.

Obra24Horas: Por que educar os operários, por meio das oficinas oferecidas por vocês, é importante?

Ângela Pugliese: Por se tratar de algo que mexe com a emoção e com questões ligadas às memórias culturais, histórias de vida e a infância dos operários.

Obra24Horas: Após a finalização dos trabalhos, vocês percebem que os participantes conseguem levar o que aprenderam para a vida?

Ângela Pugliese: Basta um sorriso e a luz nos olhos. Sempre faço a seguinte pergunta: qual sensação ao sair de um filme que muito lhe tocou? O que é e como isso pode elevar sua vida? No final a resposta está dentro de cada um. Algo pode ser levado. Basta querer.

Obra24Horas: Qual é o ganho desse trabalho para as construtoras?

Ângela Pugliese: Principalmente institucional e por agregar valor social à marca.

Obra24Horas:  A empresa que quiser o trabalho de vocês como deve proceder?

Ângela Pugliese: Entrar em contato pelo e-mail arthur@mestresdaobra.org.br ou telefone (11) 9 91141243.

Obra24Horas: Alguma outra informação relevante.

Ângela Pugliese: Vale destacar que o projeto tem a intenção de se expandir para além do canteiro de obras. Os ateliês serão ofertados para outros operários que trabalham em outras indústrias e que não são da construção civil, mas que fazem parte da cadeia produtiva da construção. Outro fator significante é a possibilidade de abatimento fiscal ao patrocinador, por meio das Leis de Incentivo Fiscal e da Oscip - Organização da sociedade civil de interesse público.
 

 

Entrevista concedida para a jornalista Érica Nacarato, do Portal Obra24horas.

 
 
 
Copyright Portal Obra24horas | 2005-2020
Contato: (011) 3124-5324 | Termos de Uso