v Obra24horas | Entrevistas > Cláudia Antonelli
Obra24horas > Entrevistas >
ENTREVISTAS

Os impactos e benefícios da troca das lâmpadas incandescentes pelas fluorescentes no Brasil

 

legenda
Recentemente, o Governo Federal decretou que as tradicionais lâmpadas incandescentes deverão ser retiradas do mercado até 2016. A novidade, já praticada em diversos países desenvolvidos, tem o intuito de economizar energia elétrica e preservar o meio ambiente.

Mais caras, as lâmpadas fluorescentes, ainda pouco usadas no Brasil, têm uma durabilidade maior e ainda são menos prejudiciais ao planeta. No entanto, algumas pessoas ainda não entenderam realmente o porquê da ação do Governo.

Pensando nessas pessoas e buscando entender melhor como será esse processo de troca das lâmpadas e os impactos no bolso do consumidor, entrevistamos a gerente de Produto da Osram, Cláudia Antonelli.


Portal Obra24horas: Quais serão as principais vantagens para o consumidor com a retirada das lâmpadas incandescentes do mercado até 2016?

Cláudia Antonelli: Além dos benefícios no que diz respeito à sustentabilidade e gasto de energia, as tecnologias alternativas são mais econômicas. Ainda que se pague um preço maior no momento da compra, este custo é abatido no médio e longo prazo. Fazendo uma comparação simples, uma lâmpada incandescente comum de 100W custa, em média, R$ 1,50 e tem uma vida média de aproximadamente mil horas. Já uma fluorescente compacta de 23W, equivalente a esta incandescente,  é um pouco mais cara (custa aproximadamente R$ 7,50), mas sua vida mediana é oito vezes maior. Se calcularmos o tempo de duração e o consumo mais baixo, a substituição é totalmente válida para o consumidor. Poucos fazem esta conta de imediato, pois olham o custo inicial, mas com a determinação do Governo, o consumidor deve se acostumar a estabelecer esse tipo de relação.


Portal Obra24horas: Porque as lâmpadas alternativas são mais caras que as incandescentes?

Cláudia Antonelli: Por enquanto, as novas tecnologias estão sendo difundidas no mercado brasileiro, mas com certeza, conforme as pessoas forem optando por este tipo de lâmpada, a produção deve aumentar e o consequentemente o custo inicial para o consumidor deve ser reduzido. É importante lembrar que, atualmente, elas são mais caras apenas em curto prazo, mas a escolha das novas alternativas compensa em longo prazo.


Portal Obra24horas: Você acha que será possível trocar todas as lâmpadas incandescentes do país e retirá-las do mercado até 2016?

Cláudia Antonelli: Com a crise energética ocorrida no Brasil há dez anos, a população passou a conhecer melhor as tecnologias que podem substituir as incandescentes e isso fez com que o número de lâmpadas fluorescentes economizadoras de energia ganhassem espaço no mercado nacional. Contudo, as tradicionais incandescentes ainda estão presentes em uma grande quantidade de residências brasileiras. Por isso, ainda acho cedo para dizermos se é possível substituirmos todas as lâmpadas incandescentes.


Portal Obra24horas: Como essa troca deve ser feita para que o prazo seja cumprido?

Cláudia Antonelli: Em primeiro lugar é importante e necessário que a população seja informada da determinação do Governo, para que fique claro ao consumidor o quanto esta mudança vai impactar positivamente no seu consumo de energia, principalmente em médio e longo prazo, diminuindo os custos com energia elétrica. Outro ponto importante é que as empresas que fornecem lâmpadas e produtos para iluminação garantam aos consumidores alternativas interessantes e viáveis, justamente o que OSRAM tem feito. Por termos aproximadamente cinco anos até que as incandescentes sejam banidas, o mercado brasileiro naturalmente irá migrar para tecnologias mais modernas, como as fluorescentes e os LampLEDs.


Portal Obra24horas: Qual a importância dessa decisão tomada pelo governo para o país?

Cláudia Antonelli: Como em outras regiões do mundo, como a Europa, essa decisão do Governo foi muito importante. Isso porque a medida foi tomada como forma de incentivar a redução do consumo de energia elétrica, o que nos possibilita utilizar os recursos naturais do país de maneira mais sustentável. Num primeiro momento, a medida pode até parecer negativa aos olhos do consumidor que olha apenas para o aumento do investimento inicial durante a compra das lâmpadas. Mas, para quem fizer as contas e ver que no médio e longo prazo haverá economia, a ação do Governo vai ser bem vista. Estamos seguindo uma tendência mundial, que cada vez mais se volta para alternativas mais sustentáveis.


Portal Obra24horas: Você acredita que os brasileiros estão mais conscientes hoje quanto às questões ambientais?

Cláudia Antonelli: Creio que hoje, no mundo todo, existe um debate muito maior no que diz respeito à sustentabilidade e sobre quais impactos as tecnologias causam à natureza. A substituição das lâmpadas incandescente é uma medida natural, já adotada por muitos outros países do mundo, como nações da Europa, EUA e Argentina, e não demoraria muito para o Brasil entrar neste grupo.

Acho fundamental tranquilizarmos a população sobre o processo da troca, pois ela será feita de forma gradativa. Além disso, devemos deixar claro que as tecnologias que podem substituir as incandescentes só têm a acrescentar na saúde financeira da população, que terá ao seu dispor lâmpadas mais eficientes.

 

Entrevista para a jornalista Érica Nacarato, redatora do Portal Obra24horas.

Copyright Portal Obra24horas | 2005-2021
Contato: (011) 3124-5324 | Termos de Uso