v Obra24horas | Entrevistas > Carlos Gomes
Obra24horas > Entrevistas >
ENTREVISTAS

Pesquisadores desenvolvem cimento alternativo mais barato

 

 

 

 

 

 

O cimento magnesiano poderá substituir em até 80% o cimento portland, que é usado na composição do fibrocimento para telhas e paineis

Pesquisadores da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da USP desenvolveram um cimento alternativo para ser utilizado na produção de fibrocimento. O produto poderá substituir o cimento portland, que é usado na composição do fibrocimento em até 80%, como aglomerante. Em testes realizados na EESC, o fibrocimento alternativo mostrou maior durabilidade e menor custo, além de ser menos agressivo ao meio ambiente.

O cimento alternativo foi desenvolvido dentro de uma linha de pesquisa da escola, que vem estudando possibilidades para a produção de fibrocimento mais econômico e durável, com o uso de fibras alternativas e escórias de alto forno. O Portal Obra24horas conversou com o engenheiro civil Carlos Gomes, que é pós-doutorando e professor colaborador de pós-graduação do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da EESC, sobre o início da produção desse novo produto.

Portal Obra24horas: Como e quando surgiu a idéia da produção de um cimento alternativo ao Portland?
Carlos Gomes: Há cerca de um ano, mas esta pesquisa está dentro de uma linha que estuda aglomerantes alternativos com finalidade de reduzir o consumo do clínquer (calcário + argila calcinados) usado na produção do cimento tipo portland. A cada tonelada de clínquer produzido é liberado uma tonelada de dióxido de carbono na atmosfera.
O material que estudamos é a base de óxido de magnésio, calcário magnesiano e sulfatos, e sua produção foi baseada na tecnologia dos cimentos magnesianos tipo Sorel - o primeiro cimento produzido nesta base e precursor desta tecnologia no ano de 1867. A diferença está nas adições com finalidade de redução de custos.

Portal Obra24horas: Quais são as vantagens do cimento alternativo?
Carlos Gomes: Primeiro é um cimento de baixo custo voltado à produção de artefatos de cimento, sua “cura” - quando o material atinge a secagem e ponto de resistência ideais -, acontece em cerca de 40 minutos, ao contrário do convencional que é bem mais lento. Além disso, o produto tem a característica de ser menos agressivo ao meio ambiente e menos alcalino que o cimento tradicional.

Portal Obra24horas: Em recente entrevista, o senhor disse que o fibrocimento não será utilizado para utilização em fins estruturais, mas sim para elementos construtivos ou artefatos, como telhas e painéis de fechamento. Por quê?
Carlos Gomes: Concreto para fins estruturais exige resistência mais elevada e atendimento de outros quesitos ainda não estudados.  De fato o material foi desenvolvido para uso somente em artefatos. Quaisquer outras aplicações necessitarão de estudos pormenorizados para tal fim.

Portal Obra24horas: Em quanto tempo será possível o início da produção em massa do fibrocimento alternativo?
Carlos Gomes: Isso depende da aceitação da indústria e da sua adaptação à nova tecnologia. Do ponto de vista tecnológico está pronto.

 

Entrevista para a jornalista Mércia Ribeiro, redatora do Portal Obra24horas.

 

Copyright Portal Obra24horas | 2005-2021
Contato: (011) 3124-5324 | Termos de Uso