/ Login

Não é Cadastrado?

Cadastre-se agora mesmo!

Empresa registra volume recorde de vendas de produtos acabados

Produtos de fibrocimento representam boa alternativa neste momento para o mercado

Receita líquida consolidada foi de R$ 95 milhões, 17% acima do mesmo período do ano passado
 
A Eternit S.A. divulgou os resultados do terceiro trimestre de 2006. A receita líquida consolidada foi de R$ 95 milhões, o que significa um crescimento de 17% em relação ao mesmo período do ano passado. No acumulado até setembro, a receita ficou em R$ 258 milhões, ligeiramente abaixo dos R$ 263 milhões obtidos nos nove primeiros meses de 2005.
 
A maior demanda da indústria da construção civil – em decorrência do aumento do volume de crédito habitacional, edificações e projetos de infra-estrutura –, também teve impacto positivo nas vendas de produtos acabados da companhia, que soube atender rapidamente a esse crescimento por meio de sua rede de distribuição, composta por mais de 8 mil pontos de venda. No terceiro trimestre, a Eternit registrou volume recorde de 153 mil toneladas comercializadas, 16% acima do mesmo período de 2005. No acumulado de nove meses, foram comercializadas 416 mil toneladas, resultado 11% superior ao do ano passado.
 
“Esses números demonstram a confiança do consumidor em nossos produtos”, afirma Élio A. Martins, Presidente e Diretor de Relações com Investidores da Eternit. “Com excelente relação custo-benefício, os produtos de fibrocimento são excelente alternativa no momento em que o mercado da construção civil começa a apresentar reação.”
 
As vendas de amianto crisotila no terceiro trimestre subiram 17%, alcançando a marca de 56 mil toneladas, volume 17% acima do mesmo período de 2005. Nos acumulados dos nove meses, porém, houve redução de 12% no volume comercializado entre o ano passado e 2006, principalmente em função da base de comparação, que em 2005 foi bastante elevada, em razão das vendas da fibra para países afetados pelo tsunami. Além disso, a mineradora SAMA, controlada pela Eternit, continua com a sua política de focar suas vendas em mercados mais rentáveis e em produtos de maior valor agregado.
 
Essa política, somada à desvalorização do dólar médio em relação ao real, que atingiu diretamente as vendas externas da SAMA, fez com que as vendas consolidadas para o mercado interno respondessem por 77% do resultado final consolidado até setembro de 2006. A receita gerada pelas exportações, por sua vez, teve redução de 15%, passando de R$ 71 milhões em 2005 para R$ 60 milhões em 2006.
 
O lucro líquido consolidado do terceiro trimestre, de R$ 7,4 milhões, ficou 28% acima do mesmo período do ano passado e vem permanecendo estável nos últimos três trimestres. Mas, no acumulado de nove meses, o resultado líquido de R$ 21 milhões foi inferior ao montante do mesmo período de 2005.
 
O destaque dos resultados da Eternit continua sendo a valorização das ações ordinárias, que até setembro haviam registrado crescimento de 57%, acima dos 9% do Ibovespa. No acumulado dos últimos 12 meses, a valorização dos papéis da companhia foi de 58%, contra 15% do índice da Bovespa. No final de setembro deste ano, o valor de mercado da companhia era de R$ 331 milhões.
 
Para o Presidente da Eternit, essa valorização é resultado da política de transparência da companhia junto ao mercado de capitais e à sociedade em geral, que no último dia 17 de agosto culminou com a migração das ações para o Novo Mercado da Bovespa.

“Além disso, temos mantido um dos maiores programas de visitação da indústria brasileira, o Programa Portas Abertas, com o objetivo de divulgar à sociedade todas as informações relativas à utilização do amianto crisotila de forma controlada e responsável. Desde a sua implantação, em novembro de 2004, mais de 10 mil pessoas já passaram por nossas cinco unidades produtivas e pela mina da SAMA, comprovando o sucesso da iniciativa”, completa Martins.

 

Da Redação


Matéria veiculada em: 15/01/2007

Palavras Chaves: condomínios sustentáveis

Envio de e-mail

Seu nome:
Seu E-mail:
Nome do Amigo:
E-mail do Amigo:
Assunto: