MATÉRIAS

Antônio Cruz/Agência Brasil

Empresários do setor da construção se mostraram animados com a possibilidade do Governo antecipar para o segundo semestre, a elevação para R$ 1,5 milhão do teto para financiamentos habitacionais com recursos do FGTS.

A medida só começaria a valer em 1º de janeiro do ano que vem, mas segundo o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção, José Carlos Martins, a ideia é levar a proposta para aprovação pelo Conselho Monetário Nacional. “Nas palavras da secretária foi colocado isso para janeiro, mas não tinha nada contra ser imediato. No entendimento dela não deve ser muito difícil os conselheiros aceitarem essa proposta”, disse.

Ele defendeu também que seja facilitado o acesso ao crédito. Martins ressaltou que não se pede o afrouxamento das regras, mas sim instrumentos de segurança que podem melhorar a qualidade dos financiamentos. 

A CBIC pede também a redução no preço do asfalto. A reclamação é que a Petrobras elevou em 65% o preço dos insumos, mas as construtoras só podem reajustar o valor dos contratos com o DNIT uma vez por ano.

Fonte: Jovem Pan


Copyright Portal Obra24horas | 2005-2018
Contato: (011) 3124-5324 | Termos de Uso